segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

natal dos presentes

Natal: chegou sem sinos, aconteceu meigo apesar de um ou outro percalço,  passou rápido. E nem uma linha se escreveu. Como se estivesse anestesiada, faltei com o frenesim habitual, apenas uns estremeceres mesmo em cima da hora. E no entanto, fez-se natal. Sem uma linha, é certo.

Presentes as pessoas do nosso natal; isso foi o  importante!


terça-feira, 16 de dezembro de 2014

oração

Uma vontade de escrever sobre o que voa entre a cabeça e o coração
e pelas mãos me sai uma composição íntima e urgente: um poema
versos que nascem e outros parem, palavras que mudo e repesco
no que quero dizer e no que vais entender, sim, tu que me vais ler
volto atrás num passo de dança silábica, uma coreografia em ensaio
que ainda não dou por terminada

e dos dedos me sai um quase nada
tudo o que tenho ganas de dizer e por palavras quero oferecer
cabe numa frase solteira, singela mas apaixonada oração!




quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

quarta-feira, 3 de dezembro de 2014

segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

Acenei-te

procurei-te
naquela linha difusa
em que os azuis se abraçam
celeste e marinho
voei de vaga em vaga
para te encontrar
perdida de mim
acenei de mansinho