domingo, 28 de fevereiro de 2016

rés-do-sorriso

Nas casas grandes os sorrisos são menores
Falta-lhes o eco cristalino e quente, consumido pelos grandes pilares
Sorrisos grandes são coisa de gente simples
de pessoas que se sabem fazer amadas em vez de se empenharem em fachadas
Risos felizes, gargalhadas, vidas alegres, olhar pequenino de prazer
moram mesmo ali, naquele aconchegado rés-do-chão amarelinho.

oração dos infiéis

senhor
tentamos de todas as maneiras
agradar-te
por amor
ou por temer
perder o lugar neste teu reino

perdemo-nos de nós
por essas vidas
a adorar-te
senhor
e nunca nada foi suficiente
para te satisfazer

desistimos
senhor
e já não temos medo
continuamos a amar-te
está no nosso ser
mas será ao jeito dos infiéis
não acima de todas as coisas

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016

vôo

meu coração pequenino abalou do ninho
cresceram-lhe as asas e voou
cresceram-lhe as pernas e pôs-se a caminho

Estou com um cheio de vazio
aqui, onde um dia poisou de mansinho

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2016

sentido magoado

o burro amarrado
o jugo apertado
o fogo apagado
o jogo forjado

olhar desviado
silêncio calado
afago sossegado
sentido magoado

domingo, 7 de fevereiro de 2016

liberto-te

liberto-te alma inquieta
em sofrimento
aprisionada
entre o ser e o dever

Que te mova o prazer
quase mais nada
aquele sentimento
que a felicidade acarreta