quinta-feira, 19 de maio de 2016

o colo

Aquele colo
apenas sustentado com o olhar
já não mo podes dar

Aprendi a abraçar-me sem mais
para embalar a tristeza
afago a saudade mais urgente
num etéreo enlace
a lágrima que se solta, quente
rende-se face à firmeza
de cumprir a promessa que te fiz
recordar-te e escolher ser feliz

Aquele colo
apenas sustentado com o olhar
cabe-me, agora,  a vez de o dar

quinta-feira, 12 de maio de 2016

palavras de coração

escrevo e descrevo
teço palavras no coração
conto? não conto?
apago, calo ou canto?
umas vezes não me atrevo
outras, logo delas abro mão